Príncipe Harry e Meghan Markle fazem parceria com chef para construir centros comunitários -

Príncipe Harry e Meghan Markle fazem parceria com chef para construir centros comunitários

Foto: Reprodução/Instagram

Príncipe Harry e Meghan Markle fazem parceria com José Andrés para construir centros comunitários. “Vemos um mundo cheio de dignidade, empatia e humanidade. Acreditamos no poder curativo dos alimentos.”

Em outubro passado, o príncipe Harry e Meghan Markle anunciaram que haviam lançado uma fundação sem fins lucrativos chamada Archewell. O site da fundação ainda não fornece nenhuma informação além da origem de seu nome – uma combinação do grego “arche”, que significa fonte de ação, junto com a ‘fonte abundante’ do sufixo “well” – mas o duque e a duquesa de Sussex já planejam qual será o primeiro projeto filantrópico de Archewell.

No fim de semana, eles revelaram que a Archewell está trabalhando com o chef espanhol José Andrés e a World Central Kitchen e fornecerá os fundos para construir quatro centros de ajuda comunitária para a organização. De acordo com o The Telegraph, as estruturas permanentes serão abertas após emergências em grande escala ou desastres naturais, e serão adaptáveis ​​o suficiente para se tornarem escolas, clínicas médicas ou centros comunitários, conforme necessário.

“A saúde de nossas comunidades depende de nossa capacidade de nos conectarmos com nossa humanidade compartilhada”, disseram o duque e a duquesa de Sussex em um comunicado. “Quando pensamos no Chef Andrés e sua incrível equipe no World Central Kitchen, somos lembrados de que, mesmo durante um ano de dificuldades inimagináveis, existem tantas pessoas incríveis dispostas – e trabalhando incansavelmente – para apoiar umas às outras. A cozinha nos inspira através da compaixão em ação.”

Veja também:

O primeiro centro está atualmente em construção na ilha de Dominica, nas Pequenas Antilhas, que foi devastada pelos furacões Irma e Maria em 2017. (De acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Maria é considerada “o pior perigo natural – desastre induzido registrado” no país.) Um segundo centro foi planejado para Porto Rico, enquanto os locais para o terceiro e quarto ainda não foram anunciados.

“Este ano, eu vi muitos, muitos exemplos de vizinhos apoiando vizinhos, de comunidades se unindo para superar tempos difíceis. Em nossa raiz, acreditamos uns nos outros, em fazer o que é certo para os estranhos tanto quanto fazemos para os nossos amigos e família”, disse Andrés em um comunicado.

“World Central Kitchen e eu, vemos um mundo cheio de dignidade, empatia e humanidade. Acreditamos no poder curativo dos alimentos e gostamos de dizer que sempre que houver uma luta em que pessoas famintas possam comer, estaremos lá. Estamos mais motivados do que nunca para continuar este trabalho vital e estamos orgulhosos de que ele estará de mãos dadas com a Fundação Archewell e o Duque e a Duquesa de Sussex.”, finalizou o chef.

Veja também:

Nate Mook, o CEO da World Central Kitchen, disse à Bloomberg que o custo de cada centro comunitário varia com base em seu design e localização, mas levará pelo menos US$ 50.000 (R$ 260 mil) para fazer cada um deles funcionar.

Em abril, Markle e o Príncipe Harry trabalharam como voluntários no Projeto Angel Food, entregando refeições preparadas e alimentos básicos para a despensa de residentes vulneráveis ​​de Los Angeles. “Eles estavam vestidos tão casualmente – não é assim que você espera vê-los”, disse Richard Ayoub, o CEO do projeto, à CNN.

O Telegraph acrescentou que Markle é voluntária em cozinhas populares desde que era adolescente. Ela também fez visitas regulares ao Hubb Community Kitchen no Al Manaar Muslim Cultural Heritage Centre, no oeste de Londres, que forneceu refeições e apoio às famílias das pessoas afetadas pelo trágico incêndio da Torre Grenfell. Ela também ajudou a projetar e publicar um livro de receitas que teve os lucros doados à organização responsável, pagou a reforma da cozinha e permitiu que abrissem cinco dias adicionais por semana.

“Eu imediatamente me senti conectada a esta cozinha comunitária: é um lugar para as mulheres rirem, chorarem e cozinharem juntas”, escreveu ela no prefácio do livro de receitas. “Combinando identidades culturais sob um teto compartilhado, ele cria um espaço para sentir uma sensação de normalidade – em sua forma mais simples, a necessidade universal de se conectar, nutrir e comunicar por meio da comida, da crise ou da alegria – algo com que todos podemos nos relacionar.”

Fique por dentro das novidades na nossa página no Facebook Desejo Luxo ou no nosso site www.desejoluxo.com.br

Join the Discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

arrow