Bunkers bilionários: como a população mais rica do planeta se preparou para o apocalipse -

Bunkers bilionários: como a população mais rica do planeta se preparou para o apocalipse

Muito antes do surto do coronavírus ser declarado, a população bilionária do planeta já buscava alternativas de isolamento.

Várias empresas em todo o mundo foram surpreendidas com uma demanda crescente por estruturas que protejam de qualquer risco, seja uma pandemia global, um asteróide ou a Terceira Guerra Mundial – ao mesmo tempo em que sejam capazes de oferecer comodidades de luxo.

“O bunker do seu pai ou avô não era muito confortável”, diz Robert Vicino, empresário imobiliário e CEO da Vivos, uma empresa fundada por ele, que constrói e gerencia abrigos de luxo em todo o mundo.

Bunkers de luxo já eram investimento de população rica antes de pandemia

Antigamente, os bunkers eram cinzentos, metálicos, como um navio ou algo militar. E a verdade é que a os bilionários não podem sobreviver a longo prazo em um ambiente tão sombrio.

Por dentro do maior bunker do mundo, um abrigo ultraluxuoso para desastres nucleares

O super iate para você ir até o fim do mundo e voltar com muito luxo

Milionários se isolam em iates de luxo para evitar coronavírus

5 maneiras inesperadas de relaxar

Cansou do isolamento? 13 atividades para fazer com o tempo de sobra

Imagens: Reprodução

Demanda do Juízo Final

Muitas das elites do mundo, incluindo gestores de fundos e investimentos, astros do esporte e executivos de tecnologia optaram por projetar seus próprios abrigos secretos para abrigar suas famílias e funcionários.

Gary Lynch, gerente geral da Rising S Company, com sede no Texas, diz que as vendas de 2016 para seus bunkers subterrâneos personalizados cresceram 700% em comparação com 2015. Enquanto as vendas globais cresceram 300% desde a eleição presidencial de novembro nos EUA.

Os bunkers de chapa de aço da empresa, projetados para durar gerações, podem armazenar, no mínimo, um ano de alimentos por residente e suportar terremotos.

Mas enquanto alguns querem se esconder sozinhos, outros preferem sair do apocalipse em um ambiente comunitário que oferece uma experiência um pouco mais próxima do mundo real.

Desenvolvedores de abrigos comunitários como esses geralmente adquirem bunkers militares desativados e silos de mísseis construídos pelos governos dos Estados Unidos ou da União Soviética.

As estruturas fortificadas são projetadas para resistir a um ataque nuclear e são equipadas com sistemas de energia, sistemas de purificação de água, válvulas de explosão e filtragem de ar.

A maioria inclui suprimentos de comida por um ano ou mais, e muitos têm jardins hidropônicos para complementar as refeições.

Os desenvolvedores também trabalham para criar comunidades completas, com uma gama de habilidades necessárias para a sobrevivência a longo prazo, de médicos a professores.

Designer arca

Um desses abrigos, o Vivos xPoint, fica perto das Colinas Negras de Dakota do Sul e consiste em 575 bunkers militares que serviram como Depósito de Munições do Exército até 1967.

Atualmente sendo convertido em uma instalação que pode acomodar cerca de 5.000 pessoas, o interior de cada bunker é equipado pelos proprietários a um custo entre US$ 25.000 (R$130 mil) a US$ 200.000 (R$ 1 milhão) cada.

O preço depende se eles querem um espaço minimalista ou uma casa com acabamentos sofisticados.

O complexo em si é equipado com todos os confortos de uma cidade pequena, incluindo um teatro comunitário, salas de aula, jardins hidropônicos, uma clínica médica, um spa e uma academia.

A estrutura, que foi esculpida em rocha sólida, oferece 34 residências particulares, cada uma com 760 metros quadrados.

As unidades serão entregues vazias e cada proprietário terá o espaço reformado para atender seus próprios gostos e necessidades, escolhendo entre opções que incluem salas de triagem, piscinas privadas e academias.

Vicino compara os espaços individuais aos iates subterrâneos e até recomenda que os proprietários contratem os mesmos construtores e projetistas que trabalharam em seus navios.

“A maioria dessas pessoas tem iates de luxo, então eles já têm o relacionamento e sabem o gosto, o ajuste e o acabamento que desejam”, explica ele.

O vasto complexo inclui um sistema de bonde para transportar os moradores por todo o abrigo, onde podem visitar seus restaurantes, teatro, cafeterias, piscina e áreas de jogos.

Casas nucleares reforçadas

O condomínio de sobrevivência do desenvolvedor Larry Hall, no Kansas, utiliza dois silos de mísseis Atlas abandonados.

Os silos foram construídos pelo Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA para abrigar ogivas durante o início dos anos 60:

“Nossos produtos são vendidos com a vantagem única de ter uma segunda casa de luxo que também é um bunker com proteção nuclear”, diz Hall, que já está começando a trabalhar em um segundo condomínio de sobrevivência em outro silo no local.

O condomínio de sobrevivência tem vários layouts diferentes, de uma residência de meio andar de 275 metros quadrados a uma cobertura de dois níveis e 1.100 metros quadrados que começa em US$ 4,5 milhões (R$ 22 milhões).

Os proprietários têm acesso a suas casas e instalações a qualquer momento, seja iminente ou apenas para fugir de tudo; e o complexo conta com piscina, loja em geral, teatro, bar e biblioteca.

A associação do condomínio define as regras para a comunidade e, durante uma emergência, os proprietários devem trabalhar quatro horas por dia.

Luxo a longo prazo

Se você prefere passar o fim do dia sozinho, ou pelo menos com familiares e amigos selecionados a dedo, pode considerar o Oppidum, na República Tcheca, que está sendo anunciado como “o maior bunker bilionário do mundo”.

A instalação ultrassecreta, que já foi um projeto conjunto entre a antiga União Soviética e a Tchecoslováquia (atualmente República Tcheca e Eslováquia), foi construída em 10 anos, a partir de 1984.

Embora muitos possam considerar desnecessárias as comodidades de luxo nessas instalações, os desenvolvedores argumentam que esses recursos são críticos para a sobrevivência.

“Esses abrigos são de longo prazo, um ano ou mais”, diz Vicino. “É melhor que seja confortável.”

Spa em casa: como manter rotina de beleza em época de coronavírus

Tour virtual: 10 museus para visitar sem sair de casa

Zoológico humano na China é a novidade em hospedagem de luxo

Mega resort de R$18 bilhões será inaugurado em Las Vegas

Hospede-se em um prédio em forma de elefante

Veja também

+ Mudaram as regras para compra de carro para PCD; veja como ficou

+ Carol Nakamura compartilha projeto de sua mansão de R$ 2 milhões; veja

+ 20 passos simples para dar uma cara nova para sua casa

+ Você acha Gracyanne Barbosa sarada? É quer nunca viu a médica Chinesa Yuan Herong

+ Relógio de R$ 3 milhões de Faustão é inspirado em supercarro da Bugatti; veja

+ Dicas fáceis de como limpar panela queimada

+ Enio Mainardi, publicitário e pai de Diogo Mainardi, morre de covid-19

+ Quarto feminino: 6 dicas que você precisa saber antes de planejar o seu

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo



arrow